©2017 Direitos reservados para Primeiro Andar. Todas as fotos, salvo indicação em contrário, são de autoria de Gil Carlos Volpato. Desenvolvido por aGenteCV [laboratório de criação]. Criado com Wix.com.

Faça sua pesquisa por categoria
Faça sua pesquisa por palavra
  • Google+ - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Pinterest - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • Gil Carlos Volpato

Nenhum Volpato!



Concebido por Jean Chalgrin em estilo neoclassicista, o Arco do Triunfo foi construído em comemoração às vitórias militares de Napoleão Bonaparte, que ordenou a sua construção em 1806. O monumento foi inaugurado 30 anos depois. Mais tarde Napoleão perderia a guerra, naquela posição. Em sua base, situa-se o Túmulo do Soldado Desconhecido. O Arco localiza-se na Praça Charles de Gaulle, no encontro das avenidas Charles de Gaulle e Champs-Élysées em Paris. Foi o arco do triunfo mais alto do mundo (sim, existem vários) por mais de cem anos, até à construção do Monumento a la Revolución no México em 1938. O Arc de Triomphe de l'Étoile (como também é conhecido em francês) representa além das glórias e conquistas do Primeiro Império Francês, o patriotismo e o orgulho da nação francesa. Não que os franceses sejam um povo presunçoso e orgulhoso como muita gente que nunca foi pra lá gosta de afirmar. Eles tem orgulho da França, de serem franceses, coisa que nós brasileiros estamos perdendo ou substituindo pela vergonha de sermos o país mais corrupto do mundo. Voltando ao Arco, só os alicerces demoraram dois anos para serem construídos. O arquiteto Jean Chalgrin morreu em 1811 e as obras foram retomadas por Jean-Nicholas Huyot. Durante a Restauração Francesa, a construção foi interrompida e não seria terminada até ao reinado de Luís Filipe I de França, entre 1833 e 1836 pelos arquitetos Goust, e depois Huyot sob a direção de Héricart de Thury. Em 15 de dezembro de 1840, os restos mortais de Napoleão, trazidos de Santa Helena, passaram sob o Arco em seu caminho para a última sepultura do Imperador no Hôtel des Invalides. Após a sua construção, o Arc de Triomphe tornou-se o ponto de partida dos desfiles militares do exército francês após campanhas militares vitoriosas e dos desfiles de 14 de julho em comemoração ao Dia da Bastilha. Alguns dos desfiles militares que tiveram início no local incluem o desfile do exército alemão em 1871, do exército francês em 1919, novamente do exército alemão em 1940 e dos exércitos aliados em 1944 e em 1945. Após a transladação do soldado desconhecido para o Arco após a Primeira Guerra Mundial, os desfiles militares, em sinal de respeito, evitam passar pelo centro do monumento, contornando-o. Tanto Adolf Hitler em 1940 como Charles de Gaulle em 1944 agiram desse modo. As imagens de Hitler desfilando com suas tropas na Paris ocupada são famosas e muito significativas. No início dos anos 60 o monumento estava bastante enegrecido devido à fuligem e à exposição ao trânsito, e entre 1966 e 1967 foi limpo e restaurado. Além desse Arco do Triunfo, fazem parte do Eixo Histórico de Paris o Grande Arc de la Défense e o Arc du Triomphe du Carrousel (próximo ao Museu Do Louvre). No Arco do Triunfo estão inscritos os nomes de 128 batalhas e 660 personagens históricos, incluindo um Teste, um Schneider, dois Damas: François Auguste e François Étienne, mas nenhum Volpato! Estar no Arco do Triunfo e pensar que Napoleão, De Gaulle e Hitler passaram por ali é incrível. História pura! Fotografia: Gil Carlos Volpato, 16 de março de 2012, Paris, França.

#paris #franca #mundo #arco #napoleao #triunfo #hitler

10 visualizações