©2017 Direitos reservados para Primeiro Andar. Todas as fotos, salvo indicação em contrário, são de autoria de Gil Carlos Volpato. Desenvolvido por aGenteCV [laboratório de criação]. Criado com Wix.com.

Faça sua pesquisa por categoria
Faça sua pesquisa por palavra
  • Google+ - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Pinterest - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • Gil Carlos Volpato

A Grande Farsa



Com seus 3,411 km² e inaugurado em 1.857, o Central Park é querido por praticamente todos os nova-iorquinos. O que muita gente não sabe é que o parque é uma grande farsa, do tipo daquelas grandes, que os norte-americanos gostam de fazer de vez em quando. Foi assim que eles conseguiram, colocando, retirando ou relocando milhares de toneladas de terra e pedra, tornar um antigo pântano e lixão num oásis dentro da grande floresta de arranha-céus existente na região de Manhattan. O enorme projeto que levou anos para ser concluído, foi responsável pela criação de quedas d’água, lagos, jardins, vielas, fontes e pontes. Cada pedrinha, e até mesmo as enormes pedras que hoje são usadas como área de descanso por turistas do mundo todo que por ali passeiam, foram propositalmente colocadas no lugar onde estão. Nas primeiras décadas após a inauguração praticamente nada era “natural”. Árvores e flores foram plantadas, trazidas de outras partes do país. Cachoeiras foram criadas - e ainda funcionam - graças ao uso de bombas hidráulicas e de reservatórios ocultos. Ao longo das décadas seguintes porém, a natureza tem feito suas próprias contribuições e tem se encarregado de ajudar aos homens de boa vontade. De qualquer jeito, caminhar pelo Central Park ou sentar em algum canto dele para esperar a vida passar é uma boa maneira de se aproveitar o dia em New York. Fotografia: Gil Carlos Volpato, 08 de setembro de 2011, em Nova Iorque, Estados Unidos da América.

#parque #central #estadosunidos #novaiorque #farsa #mundo

13 visualizações