©2017 Direitos reservados para Primeiro Andar. Todas as fotos, salvo indicação em contrário, são de autoria de Gil Carlos Volpato. Desenvolvido por aGenteCV [laboratório de criação]. Criado com Wix.com.

Faça sua pesquisa por categoria
Faça sua pesquisa por palavra
  • Google+ - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Pinterest - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • Gil Carlos Volpato

Nada melhor que outro argentino?



Juan Domingo Perón foi um dos políticos mais importantes da América Latina, presidente de seu país por três vezes de 1946 a 1955 e de 1973 a 1974. Foi casado com Aurelia Tizón, com Maria Eva Duarte, a Evita, uma das mulheres latino-americanas de maior destaque na história, e com María Estela Martínez, a Isabelita, que viria a ser a primeira mulher a ocupar a presidência da República Argentina. Juan nasceu em 08 de outubro de 1895, ingressou no Colégio Militar aos 16 anos e em 1930 participou do golpe que derrubou o presidente argentino Hipólito Yrigoyen. Foi professor na Escola Superior de Guerra, passou um ano como agregado militar no Chile, publicou cinco livros sobre a história militar e estudou, na Alemanha e na Itália, os regimes nazista e fascista. Fundou o Grupo de Oficiais Unidos, foi Secretário do Trabalho e do Bem-Estar Social, assumiu a vice-presidência do país e tornou-se Ministro da Guerra. Em 9 de outubro de 1945 Perón foi preso e destituído do seu cargo por um levante militar. Sua prisão provocou uma crise no governo seguida de uma intensa campanha popular por sua libertação comandada por sindicalistas e por sua amante, Eva Duarte. Foi libertado em outubro de 1945 e naquela noite discursou da sacada da Casa Rosada para mais de 300 mil pessoas dando início à sua campanha eleitoral. Dias depois, casou-se com Evita. Foi eleito no ano seguinte e seu governo foi marcado pelas transformações, pelas estatizações, pelo desenvolvimento industrial e pela garantia do direito dos trabalhadores à aposentadoria, férias remuneradas, cobertura de acidentes de trabalho e seguro médico. Assegurou o direito das mulheres ao voto e adotou uma política nacionalista. Foi reeleito em 1951 e no ano seguinte foi excomungado da Igreja Católica Apostólica Romana e enfrentou a morte de sua esposa, Evita, que desde então descansa em paz no Cemitério da Recoleta, em Buenos Aires. Em 1955 foi deposto por militares e exilou-se no Paraguai. Acabou mudando-se para Madri, onde casou em 1961 com Maria Estela Martinez. Juan retornou para Buenos Aires em 1973 e foi novamente eleito, mas morreu em julho de 1974 e não chegou a terminar seu governo, tendo sido sucedido por sua esposa, Isabelita. Tendo sido casado com três mulheres, e militar que era, Perón deve ter sido um sujeito valente, bom de briga, duro na queda, mas sua afirmação de que "para um argentino não há nada melhor que outro argentino" soa assim… meio estranho. Essa nem o Papa perdoa! Fotografia: Gil Carlos Volpato, 23 de dezembro de 2012, Praça de Maio, Buenos Aires, Argentina.

#argentina #cartaz #buenosaires #peron #mundo #evita

10 visualizações